O que ela quer…

Ela sempre desprezou as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão. Coisas que não a excitam, não a fazem perder a cabeça. Aquelas velhas coisas que definimos como mais ou menos. Um livro mais ou menos, um filme mais ou menos. Um amor mais ou menos. Grande perda de tempo. Ela quer viver de forma perturbadora. Não quer uma vida normal. Ela quer estremecer, suar, desatinar, amar. Amar loucamente. Ela quer flores em horas inesperadas, ela quer cartas escritas à mão. Ela quer um beijo roubado, uma mão estendida. Quer ser buscada em casa, se sentir protegida. Quer um abraço sincero e um colo quentinho. Quer menos palavras, mais atitudes. Mais carinho e mais sacanagem. Ela quer tudo. Só não quer um “para sempre” que não dure.