As cartas que nunca te enviei: O medo de te esquecer

Meu amor,

Hoje escureceu tão cedo que até te procurei por debaixo das cobertas.
Queria tanto entrelaçar as minhas mãos às tuas…

Mas não te achei.

E senti medo.
Medo por não estares aqui. Medo do que não posso ver. Prever.

Medo porque é nas horas que as estrelas acendem no céu, que amanhece a minha solidão.

E já fazia tempo que eu não sentia isso. Esse vazio completo.
Uma falta de algo que ainda não sei exatamente o que é.

E sinto medo.
Medo por não sentir nada. Medo do que ainda está por vir.

E por isso, todos as noites, tento te dizer adeus.
Mas parece que nada do que eu faça consegue te levar pra longe.

Suas lembranças voltam, como a maré.
Com mais força. Com mais sentimento.

E é nessas horas que eu sinto medo.

Medo porque quero, de verdade, te esquecer.
Medo porque não quero, nunca, que me esqueças.

Sua