10 conselhos de carreira, por Mônica Salgado

Nos últimos três anos, todo início de mês aguardo ansiosamente pela nova edição da revista Glamour, comandada pela jornalista Mônica Salgado (que já entrevistei aqui). E pelo menos duas vezes por ano, a equipe faz um especial carreira que é, sem sombra de dúvidas, a minha seção favorita. Por isso, resolvi compartilhar aqui a última carta da editora, onde Mônica nos conta os 10 melhores conselhos sobre carreira que já recebeu. Por favor, atenção especial para t-o-d-o-s os itens.

Você não precisa que ninguém te dê nada. Você vai conquistar tudo sozinha, por mérito próprio.

“Isso dito pela minha tia Sandra, quando eu tinha 14 anos, na piscina do sítio da família – sempre me arrepio ao lembrar, juro pra vocês. O motivo era uma bobagem: algo como minha avó ter dado uma viagem de sonhos à minha irmã, e eu ter ficado de fora. Mas a frase foi dita com uma força e uma certeza comoventes. Caramba: ela acreditava em mim mais do que eu mesma! Quando abracei minha tia no altar (ela foi uma das madrinhas do meu casamento), disse isso a ela. Tia, ainda não conquistei tudo, mas eu tento, viu? Você sabe que, desde criança, não aceito ‘não’ como resposta…”

Não há mais espaço na mídia atual pra editores tímidos nas redes sociais.

“Isso dito pelo nosso poderoso chefão gringo Jonathan Newhouse, chairman e chief executive da Condé Nast Internacional, no encontro anual das diretoras de redação de Glamour do mundo todo, em Paris. Pra ser sincera, já praticava o conselho antes de ouvi-lo da boca dele. Mas que belo endosso recebi nesse dia, hã? Marcas são feitas por pessoas e consumidas por pessoas. Pessoas precisam de vínculos, de relações de verdade. Não se consegue construir esse elo sem se mostrar, sem se expor. Meu nome é Mônica e meu sobrenome é ‘da Glamour’. E que orgulho tenho disso!”

A gente erra bastante pra acertar. Portanto, erre muito.

“Isso dito pela Costanza Pascolato, todo-poderosa salve-salve da moda nacional, por telefone, logo que lançamos a Glamour. Pessoa gentilíssima que é, ela me ligou pra falar que tinha lido a revista e achado tudo tão moderno e atual, com cara de internet e de revista do futuro. Cos, espero que tenha acertado mais que errado ao longo desses quase quatro anos, Mas cometi alguns erros federais, e, nossa!, eles me ajudaram muito!”

Vá e brilhe!

“Isso dito pela Daniela Falcão, minha ex-diretora na Vogue, onde trabalhei por quase cinco anos. Dani falava muito isso pra equipe antes de qualquer viagem ou evento. O que ela queria dizer: nada de ficar amuadinha num canto, conversando com colegas, mexendo no telefone. Apresente-se ao dono da empresa, represente bem a sua marca! Não passe despercebida. Enfim, brilhe! Hoje passo isso pro meu time e tento inspirá-lo tanto quanto a Dani me inspirou.”

Só ligar não basta. Muito menos apenas mandar e-mail. Chame pra um café, convide pra almoçar. Crie um vínculo de verdade. Te conhecendo, a pessoa vai receber diferente tudo o que envolver o seu nome.

“Isso dito pela Sussu Vidigal, dona da Index Assessoria, a minha chefe lá em 2003. É o bom e velho networking, né? Aquele que, no atropelamento que é a vida moderna, a gente esquece de estabelecer como se deve. Sussu me deixou uma lição muito preciosa: relacionamento é tudo. Estabeleça relações positivas com as pessoas que cruzam seu caminho. Vocês provavelmente vão se encontrar lá na frente.”

Se interesse pelo outro. Pergunte, queira saber mais da vida dele. Olhe fundo nos olhos e, de fato, ouça a resposta. O seu interesse genuíno vai quebrar o gelo e gerar um laço entre vocês.

“Isso dito pelo Marcos Quintella, hoje presidente do grupo Young & Rubicam Brasil, mas amigo de infância do meu marido e padrinho querido de casamento.”

Não importa no que você trabalhe: você sempre precisa vender algo pra alguém. Então foque numa característica única daquele produto/serviço, aquilo que salta aos olhos e que o faz ser diferente. Então monte seu discurso em cima disso.

“Isso dito pelo Anderson Birman, então presidente da Arezzo, meu chefe e uma das pessoas mais apaixonadas pelo que faz que já conheci. Na época, eu preparava uma espécie de cartilha explicativa de cada um dos modelos das coleções, feita pra vendedoras e franqueados – eram zilhões de itens e eu tinha que ser muito criativa! Baita escola que você foi, Anderson! Boa parte das minhas noções marketeiras devo a você.”

Sempre se pergunte: por que não?

“Isso dito pelo ex-redator-chefe da Elle (trabalhei lá) e depois meu boss na Contigo (pois é, sou rodada) Edson Rossi – com quem nunca mais falei. Então, se estiver aqui lendo, obrigada, porque eu me pergunto isso todo santo dia.”

Você não vai construir nada muito relevante trabalhando das 9h às 17h. Ninguém consegue sucesso com uma dedicação mais ou menos.

“Isso dito pela Andrea Mota, ex-diretora-executiva de O Boticário que entrevistei pra um Especial Carreira em janeiro do ano passado. Acredito, viu? Tudo é uma questão de escolha, de se ter clareza de onde quer chegar. Eu quero levar a Glamour à estratosfera. E sei que isso exige que eu trabalhe com alma!”

Peça licença, mas entre.

“Isso dito pelo Caetano Veloso, infelizmente não cara a cara, e sim via música “Tudo de Novo”. Amo essa frase. Entre sempre. Não escancarando a porta e derrubando quem estava atrás dela. Entre sempre – mas sem jamais perder a ternura.”