Exercícios de Humano: o que não foi

Exercício 65

nada mas mesmo nada
poderá ser mais infinito
do que uma mulher que não deu certo

o cão que se extraviou um dia
e nunca mais voltou para casa
um peixe ferido que nunca mais regressou das rochas
o dia em que ficamos frente a frente
com a impossibilidade de sermos quem
num presente passado sonhámos ser num presente futuro

nada mas mesmo nada
poderá ser mais infinito
do que esse momento humano em que falha a respiração

não é a perda que dói e permanece
imitando um dia após um dia após um dia após um dia
não é a perda não
é a sua consciência infinita
a fragrância de um flor que nunca morre

Paulo José Miranda