Entrevista: Lane Marinho (a cinderela do fundo do mar)

Conheci o trabalho da Lane Marinho em 2014, enquanto fazia o Curso Abril de Jornalismo e estagiava para a revista Elle Brasil. Estávamos fazendo um especial de acessórios na época e, entre as diversas pessoas que entrevistei, o trabalho da Lane me saltou os olhos.

Para quem não sabe, ela é especialista em sapatos handmade com uma forte pegada brasileira. Sua marca registrada são as sandálias com pedras, gemas e elementos que remetem ao universo marinho – tudo extremamente artesanal, confeccionado dentro de casa em um processo que pode levar até três semanas.

Segundo ela, o segredo do sucesso é o amor. “Faço os sapatos como se fossem para mim. É importante que minha paixão seja percebida, senão o produto não ganha vida”. Resolvi entrevistá-la novamente, dessa vez aqui para o site, para contar um pouco mais sobre o trabalho que vem encantando tantas pessoas ao redor do país.

  • Você pinta, faz artesanato, produz fotos, etc. Como o trabalho manual começou na sua vida? É algo que vem desde a infância?

Sempre tive um grande interesse por materiais e cores. Pela manipulação e transformação da matéria em algo novo. Desde a minha infância aprendi técnicas como bordado e crochê, já que via minha mãe costurando à máquina, minha vó confeccionando patchwork à mão e minhas tias bordando. Esse processo foi natural. Acabei encontrando nessas atividades manuais um espaço de silêncio e imersão. Assim como o desenho, que anda comigo desde a infância. Ou seja, desenhar, costurar, pintar, entre outros, é para mim um espaço de concentração, de presença. É o melhor lugar para se estar.

  • O que mais lhe inspira na hora de criar? 

Busco grande parte da minha inspiração na natureza, nas formas geométricas simples e na arte moderna. Os materiais naturais, como pedras, rochas, conchas, flores, etc., me encantam muito. Mas acho que a inspiração é sempre uma mistura de tudo o que você já vivenciou e viu. É difícil resumir em palavras, mas toda a trajetória, para um bom observador, é um prato cheio para buscar inspiração. E acho que cheguei em um ponto onde o que mais me influencia é a harmonia de cores da natureza. Essa leveza e poesia do natural.

  • E como funciona o seu processo de criação? O que surge primeiro na sua cabeça: a tela, o sapato, a fotografia…?

É um processo bem livre e experimental. Eu não trabalho pensando em coleções como normalmente funciona o mercado da moda. E digo experimental porque eu corto, monto, pinto e testo bastante – até que surja algo que me surpreenda. Também tenho um caderno onde anoto ideias e possíveis testes. Vou experimentando tudo aos poucos. Às vezes dá certo, às vezes não. E mesmo quando não dá, deixo aquele experimento ali por perto, já que todo o material ajuda a ter novos insights.

Além disso, todos esses experimentos são feitos com tecidos, pedras, conchas e tudo o que eu sempre compro ou coleciono – objetos ficam por um tempo ali parados até que me chamam e eu resolvo dar-lhes vida.

Já as fotografias sempre nascem por último, depois que acredito que um produto está bom. E eu acabo criando esses miniuniversos de cor, com objetos, plantas, frutas, etc., para contextualizar as peças. Como quem monta objetos para uma pintura de observação, sabe?

  • E qual o seu lugar favorito em todo o Brasil, que além de adorar ainda lhe inspira a criar? 

Hoje moro e passo a maior parte do tempo em São Paulo, capital. Mas, sem dúvida, a minha cidade natal, Salvador, é onde recarrego as energias e revejo os amores de família e grandes amigos. Ou seja, que maior inspiração poderia vir, senão do amor? <3

Mais informações:
Lane Marinho
contato@lanemarinho.com
Preços a partir de R$ 1.200 ($600)