Lygia Fagundes Telles (e o Nobel de Literatura)

Sou apaixonada por literatura brasileira, então imaginem a minha felicidade quando soube que a escritora Lygia Fagundes Telles (autora de clássicos como Ciranda de Pedra) foi indicada para o prêmio Nobel 🙂

Para quem não sabe, seu nome foi eleito por unanimidade pelos membros da União Brasileira de Escritores (UBE), e ela é a primeira mulher brasileira a concorrer. Ao total, Lygia tem 24 livros publicados (sem contar as crônicas publicadas na imprensa e participações em coletâneas) e cerca de 9 prêmios – sendo o Prêmio Camões, que ganhou em 2005, o mais importante. Suas obras também já foram traduzidas para o alemão, espanhol, francês, inglês, italiano, polonês, sueco e tcheco.

Além dela, outros brasileiros também já foram indicados, como Ariano Suassuna, Jorge Amado, João Cabral de Melo Neto e Ferreira Gullar. Infelizmente nenhum deles levou o prêmio, mas vamos torcer pela Lygia ❤

O anúncio do vencedor deve acontecer em Outubro deste ano, em Estocolmo, na Suécia. Abaixo algumas das minhas citações favoritas (retiradas de livros e da internet):

Por que não lhe disse antes? Apertá-lo demoradamente contra o meu peito e dizer: não disse porque pensava que tinha pela frente a eternidade. Só me resta agora esperar que aconteça outra vez, vislumbro esse encontro – mas vou reconhecê-lo? E vou me reconhecer nos farrapos da memória do meu eu?
Peço que me faça um sinal e responderei ao código secreto na mente e no silêncio dos navios que se comunicam quando cruzam no mar.

Como quando se tira um vestido velho do baú, um vestido que não é para usar, só para olhar. Só para ver como ele era. Depois a gente dobra de novo e guarda mas não se cogita em jogar fora ou dar. Acho que saudade é isso.

Eu me aproximo das pessoas como um ladrão que se aproxima de um cofre, os dedos limados, aguçados, para descobrir, tateantes, o segredo.

A distância mais curta entre dois pontos pode ser a linha reta, mas é nos caminhos curvos que se encontram as melhores coisas da vida.