46ª edição Moda Lisboa: top 3 novos designers

Na época em que eu trabalhava como editora de moda da revista portuguesa Clock 51 (o que já deve fazer uns 2 ou 3 anos), sempre acompanhava a Moda Lisboa – mesmo que virtualmente. Minha função, na realidade, era mostrar as semanas de moda brasileiras, com cobertura completa de tudo o que acontecia por aqui. Mas com a aproximação com outros editores e repórteres portugueses, fui também me interessando pela moda do lado de lá. Como funcionava, se era (ou não) parecida com as que eu cobria aqui, quem fazia sucesso, e por aí vai.

E lembro de ver muita coisa interessante, muitos designers talentosos e muita coisa que, infelizmente, não ganhava o destaque que merecia. Também lembro de tentar por diversas vezes convencer algumas revistas brasileiras de que valia a pena apostar na moda portuguesa e que valia a pena acompanhar uma semana de moda por lá (como podem imaginar, as respostas não eram animadoras).

Dessa vez, depois de uns bons anos, fiquei super feliz de ver que, pela primeira vez, a Moda Lisboa está ganhando um espaço e despertando curiosidade entre os brasileiros. Isso tudo porque a blogger Camila Coutinho, do Garotas Estúpidas, foi convidada para fazer uma cobertura e mostrar, em primeira mão, o que tem de interessante no made in Portugal. E como este espaço aqui é também uma forma que eu encontrei de unir os dois países, acho válido falar um pouco sobre o que está acontecendo por lá e apresentar alguns designers aos leitores daqui 🙂

Para quem não sabe, essa é a 46ª edição da Moda Lisboa, que começou na sexta-feira, no Pátio da Galé, no Terreiro do Paço. Os desfiles iniciaram com a plataforma Sangue Novo, uma mostra do trabalho de 9 novos designers portugueses: Carolina Machado, Cristina Real, David Catalán, Inês Duvale, Patrick de Pádua, Rúben Damásio, Sara Santos, Tânia Nicole e Tiago Loureiro (Banda).

Selecionei três que me saltaram os olhos, e vou falar mais abaixo. Quem quiser conferir todos, basta acessar esse link (do site da Vogue Portugal) que contém todas as fotos e detalhes. Meus favoritos são:

  • Sara Santos

Vi o desfile da Sara pelo Snapchat da Camila, e depois fui dar uma olhada na internet. Essa coleção foi inspirada no trabalho do artista português Vhils e nos primórdios da arte de rua (anos 80/90). A ideia de vandalismo ganha forma através das muitas camadas e sobreposições de materiais, como o próprio nome da coleção já diz: Overlap.

  • Rúben Damásio

Adorei que a inspiração do Rúben veio da série Breaking Amish. Os pontos de destaque ficaram por conta do terno e o shearling coat, além dos chapéus, acessório indispensável nas propostas de moda masculina.

  • Carolina Machado

Open foi o nome dado para a coleção da Carolina, que surge a partir da tentativa e exploração de uma identidade, como explica seu press realese. A coleção vive de linhas simples, fluídas, e sem perder a feminilidade.

Os favoritos da Camila, pelo que vi nas redes sociais, foram Patrick de Pádua, David Catalán e Sara Santos.

E o de vocês? 😉

Mais informações:
Moda Lisboa Oficial