A Cevicheria: o restaurante cool do chefe Kiko Martins

“Mergulhei pela primeira vez na gastronomia peruana às seis e meia da manhã, em pleno Terminal Pesquero de Lima. Estávamos no início do outono de 2010, mas lembro-me como se fosse hoje: o dia ainda a nascer, sentado num banco, a provar um ceviche delicioso.”

O trecho acima faz parte do livro A Cevicheria, do chefe Kiko Martins, um dos maiores nomes da gastronomia portuguesa. O livro, que foi lançado este ano, é apenas uma das provas do sucesso do seu restaurante (que leva o mesmo nome), inaugurado no final de 2014.

Tenho certeza que qualquer um que passe pelo Príncipe Real já se deparou com as filas gigantes e o polvo famoso (feito de esponja) no teto do restaurante.

Lembro que em 2015, quando estive por aqui com a minha mãe, ficamos em um apartamento do Airbnb muito próximo do endereço, e não tinha um único dia que aquilo não estava lotado. Dois anos depois o cenário continua o mesmo, mas dessa vez fui conferir o porquê do sucesso.

No sábado passado, por volta das 12h30 (hora que eles abrem as portas) lá estava eu, ansiosa para conhecer e provar tudo. Como cheguei cedo, a espera foi pouca, e tive uma bela companhia: o pisco sour, que para quem não sabe é a típica caipirinha peruana. Ela é feita à base de aguardente, suco de limão, xarope de açúcar, clara de ovo e um pingo de Amargo de Angostura.

É super fresh, muito bom para beber em um dia de sol 🙂

Nós optamos pelo menu degustação, com seis pratos, já que era a primeira vez que estávamos em um restaurante do chefe Kiko e queríamos conhecer bem a sua gastronomia.

Primeiro recebemos o couvert, que é composto por manteiga preta (preparada com tinta de choco), dip de tomate, pão de milho, pão branco torrado e milho peruano tostado com sal. Uma maravilha 🙂

Logo depois veio o primeiro prato, o Gaspacho Verde e Cavala, com uma espécie de caldo de maça verde delicioso. Fiquei surpresa com esse prato (foi uma bela forma de começar a experiência).

Nessa hora também nos foi servido o vinho branco especial da casa, que leva o nome do restaurante.

O segundo prato, o Ceviche Puro, sem dúvida foi o meu favorito (e um dos mais adorados do público). Inclusive a revista Time Out, na edição passada, colocou ele entre os 120 melhores pratos da capital. Ele é basicamente um ceviche de peixe branco, com purê e chips de batata doce, cebola, algas e leite de tigre. É incrível e inesquecível 🙂

O terceiro prato foi o Ceviche de Atum, com foie gras, beterraba e leite de tigre. É muito, muito bom.

Depois foi a vez de provarmos o vinho tinto O Talho, nome de outro restaurante conhecido do chefe. Ele veio para acompanhar o quarto prato, chamado de Causa de Polvo BBQ, um polvo assado com purê negro, cebola, pimento e courato. Pra finalizar, o quinto prato, chamado de Quinoto do Mar, leva quinoa, camarão, mexilhão, peixe branco e espuma de ostras.

O sexto e último prato, pra fechar com chave de ouro, foi uma sobremesa surrealmente boa (uma das melhores que já comi!). É um doce feito com quinoa, maracujá, creme de banana e sorvete de goiaba. Maravilhoso!

Já quero voltar só para comer essa sobremesa e provar as outras 🙂

Alguém já foi lá? Recomenda a experiência?

Mais informações:
A Cevicheria
Rua D. Pedro V, 129
+351 218 038 815