Conheça a Imauve (marca portuguesa com graça e feminilidade)

Desde que me mudei para Portugal tenho acompanhado muito a moda nacional – dos designers mais conhecidos às novas promessas. E fico ansiosa a cada edição da ModaLisboa e do Portugal Fashion, para conferir as coleções e as apostas para a próxima estação (é delicioso fazer a comparação da moda brasileira com a portuguesa, entender um pouco como funciona o mercado e todas as referências culturais e artísticas que ambas carregam).

Uma marca que me saltou os olhos desde o início foi a Imauve, da designer portuguesa Inês de Oliveira, e que foi lançada oficialmente neste ano. As peças são ultra femininas, graciosas, elegantes e chiques (um estilo minimalista que eu adoro). Por isso resolvi apresentá-la para vocês, com uma minientrevista, e mostrar um pouco das peças e da nova coleção. Vejam só:

Como foi o nascimento da Imauve? Conte-nos um pouco da sua história
A Imauve surgiu de uma vontade muito intrínseca de criar a minha própria marca e expressar a minha identidade como designer de moda. Depois da licenciatura e mestrado em moda na Faculdade de Arquitectura, trabalhei noutras áreas como design gráfico, marketing digital e styling e fui designer de moda para várias marcas, sempre com o meu projecto em paralelo. Houve um momento em que decidi arriscar tudo e dedicar-me em exclusivo à Imauve, o que tem sido extraordinário e muito gratificante!

Imauve pronuncia-se “imôve” e é a junção entre a minha inicial e a flor/cor “mauve” (malva).

Quem é a mulher que veste a marca?
É uma mulher independente, livre e cheia de graça, que investe em si e se cultiva emocionalmente. Valoriza o design de autor e prefere qualidade do que quantidade. Gosta de se sentir confortável e relaxada, mas detesta ser igual à multidão. Investe em bons tecidos e interessa-se pela forma como são produzidos.

Você cria quantas coleções por ano?
Duas. Primavera/Verão e Outono/Inverno.

Como funciona o seu processo criativo?
O processo criativo começa quase sempre pelo conceito. As minhas coleções são sustentadas por uma base teórica, mergulho numa extensa pesquisa do tema – que é o que estabelece o fio condutor – e daí surge a paleta de cores e os primeiros esboços.

Às vezes começo pelos tecidos e desenho já a pensar nos materiais que quero usar (quase sempre naturais – seda, algodão, linho). Depois segue-se a edição, em que escolho as peças que efectivamente vão ser produzidas e que coordenadas entre si vão formar a coleção.

Quais os seus planos para os próximos anos? Pensa em abrir uma loja própria?
A Imauve surgiu como marca digital, e foi sempre pensada segundo uma estratégia de internacionalização. Por isso o nosso foco estará em expandir internacionalmente a marca. O online shopping facilita isso na medida em que não há barreiras e os meios sociais são ferramentas que facilitam muito isso. Claro que ter uma flagship store é algo que queremos e poderá naturalmente acontecer. Para já estamos em três pontos de venda físicos multimarca, nas concept stores “The Feeting Room” em Lisboa e no Porto e na “Loja das Meias” das Amoreiras.

Quem também quiser encontrar essas belezuras online, pode acessar o e-commerce Minty Square (uma plataforma de designers portugueses incrível). Os preços variam de 140€ a 455€.

Mais informações:
Imauve
info@imauve.com