WebSummit 2017: os melhores momentos

Terminou ontem mais uma edição da WebSummit, a maior conferência de tecnologia do mundo (e que, pelo segundo ano consecutivo, aconteceu em Lisboa, mais precisamente no Parque das Nações). É praticamente impossível viver na cidade e não ouvir falar do evento, já que ele estava por todo o lado. Eu particularmente adoro, as ruas ficam cheias de pessoas inspiradoras (de todo o mundo) e o network acontece nos lugares mais inusitados. Basta um attendee reconhecer o outro (pela pulseirinha ou crachá) e pronto, a conversa já foi iniciada.

O gênio Stephen Hawking na abertura do evento

Estive ontem, no último dia do evento, e resolvi fazer um resumo das talks que assisti e de tudo o que absorvi por lá. Foi uma verdadeira maratona (muito, mas muito café, correria para lá e para cá, mil contatos trocados e por aí vai). Meu bloquinho de anotações ficou todo rabiscado de ideias, frases e diversas coisas que achei interessante apontar para depois contar a vocês. Na área de moda houve temas como sustentabilidade, realidade aumentada, tecnologia, e-commerce, mercado de luxo, jornalismo e fashion week. Passaram por lá nomes ultrapoderosos, como Suzy Menkes (que amo!), editora internacional da Vogue, Caroline Rush, diretora executiva do British Fashion Council, Matthew Drinkwater, especialista em inovação tecnológica aplicada à moda, Marie-Claire Daveu, diretora do departamento de sustentabilidade do grupo Kering, e por aí vai. Muita, mas muita gente interessante.

Aliás, quem me segue nas redes sociais acompanhou tudo pelo Insta Stories (se ainda não viu, corre que eles somem em 24 horas!) 🙂 Abaixo falo um pouco dos meus favoritos:

“The model modern day” com Sara Sampaio

Foi ela quem abriu o Modum, palco dedicado à moda. O tema foi o papel das modelos nos dias de hoje e o que mudou nos últimos 10 anos. Segundo ela “as coisas mudaram muito com o Facebook, o Instagram e o Twitter. Agora as meninas têm uma voz e isso é muito poderoso. Eu, por exemplo, posso ir ao meu Instagram e dizer algo que é visto por milhões de pessoas”.

Achei ela extremamente engajada, principalmente por dar voz e incentivar as modelos a não se calarem diante de alguma injustiça (que acontece muito nesse meio).

Passei por imensas situações em que fui pressionada a fazer coisas que não queria, só porque fazia parte do negócio. Provavelmente, queimei imensos contatos com fotógrafos por ter dito não. Mas é isso que precisamos fazer”, salientou.

“The fate of the fashion journalist” com Suzy Menkes

Estava muito, muito, muito ansiosa para assistir a essa talk. Para quem não conhece, a Suzy é a diretora internacional do grupo editorial Condé Nast (que detém revistas como Vogue, Vanity Fair, entre outras). O tema abordado foi o futuro dos jornalistas de moda e o impacto da tecnologia sobre eles e o mercado editorial. Segundo ela, “as plataformas digitais e as redes sociais tornaram o jornalismo melhor, deram espaço a muitas pessoas com ideias novas e com vontade de fazer coisas diferentes”.

Os influenciadores digitais também entraram em discussão e ela deu o exemplo do case de sucesso que é a Huda Beauty, que criou toda uma comunidade de mulheres mais confiantes em si, com uma maior autoestima, etc. Para além disso, Suzy acredita que a competição entre o online e o offline pode ser positiva, já que surge para aumentar a qualidade dos conteúdos e trazer uma busca incessante pelo novo. “Temos que acreditar que a fase que está por vir vai ser a melhor de sempre”.

“Who defines gender?” com Caitlyn Jenner

Caitlyn ficou com o palco principal só para ela durante cerca de 30 minutos, contando sua história e tentando responder à questão: “podemos realmente definir gênero?”. O discurso foi extremamente sincero, real e emocionante. Principalmente quando ela contou os sentimentos que viveu durante tantos e tantos anos. “Eu sentia-me uma verdadeira fraude porque não estava realmente contando a minha história para o mundo. Até eu finalmente decidir que era tempo de mudar, de mostrar o meu ‘eu’ autêntico. Agora, de verdade, posso falar que debaixo desta roupa que estou usando hoje tenho mesmo um sutiã. Sem mais segredos”.

A plateia foi à loucura e muitos a aplaudiram de pé.

“The innovation community’s role in solving the climate crisis” com Al Gore

Essa talk me deixou mesmo emocionada. Cheguei 20 minutos antes de começar e o palco principal (que cabe mais de 20 mil pessoas) estava 100% lotado. Do lado de fora as pessoas já estavam se acomodando nas escadas, no chão, onde quer que fosse (tudo para assistir, mesmo que do telão, um dos maiores ícones de sempre, ganhador do Nobel da Paz em 2007 e antigo vice-presidente dos EUA). O tema, como é óbvio, foi o aquecimento global.

A minha ideia, ao vir aqui, não é entreter vocês com fatos que provavelmente já conhecem. Venho aqui para recrutá-los para serem parte da solução da crise ambiental e ecológica. Porque nós podemos, mesmo, resolver este problema. Aliás, nós temos que resolver este problema”, disse ele logo nos primeiros minutos.

Foi incrível e inesquecível. Deixo aqui uma frase que me marcou muito (e que já anda circulando por todo o lado): “O nosso mundo está nos primeiros passos de uma revolução de sustentabilidade tão importante quanto a Revolução Industrial, mas com a velocidade de uma revolução digital”.

Eu que já era fã dele (quando li o livro “Uma Verdade Inconveniente” em 2008), fiquei ainda mais.

Obrigada Paddy Cosgrave (o fundador da WebSummit) por fazer isso acontecer! E até 2018 🙂

Mais informações:
WebSummit