Brasileiros em Portugal: Glauco Junqueira, autor do Senhor Estilo

O ano de 2017 se aproxima do fim e, como já era de se esperar, aquele sentimento de nostalgia já paira por aqui. Milhões de coisas passam pela minha cabeça e não consigo deixar de agradecer por um ano tão incrível e por ter conhecido pessoas tão inspiradoras e especiais (Lisboa me trouxe o mundo, me encantou e continua a encantar a cada dia que passa).

E o Glauco é uma dessas pessoas que Lisboa me deu de presente. Nos conhecemos virtualmente, por estarmos inseridos no mesmo meio (temos ambos um site e lidamos ambos com esse mundo virtual e da comunicação) e, ainda por cima, ele é brasileiro como eu – mas vive cá há mais tempo, 4 anos para ser mais precisa.

O site dele, de moda masculina, se chama Senhor Estilo e é ultra inspirador. Ele também mantém uma coluna no Estadão que se chama “E aí, beleza?“, onde fala de beleza masculina. Entrevistei ele na semana passada, após nosso primeiro encontro pessoalmente (uma coincidência mega agradável durante a WebSummit, na palestra da gênia Suzy Menkes) e podem conferir abaixo:

Glauco, conta um pouco sobre a sua vida e carreira profissional antes de se mudar para Portugal

Sou Administrador de Empresas e tenho um MBA internacional em Marketing de Serviços com foco no Mercado de Luxo e marcas premium. Trabalho há mais de 9 anos na área de Marketing e Comunicação e tive a oportunidade de trabalhar em grandes empresas no Brasil, sempre à frente do branding de marcas interessantes, nomeadamente Walmart.com e JBS Friboi.

Quando percebeu que o Brasil já não era o seu lar? E por que Lisboa?

Em 2014 decidi mudar-me definitivamente para Lisboa (já tinha vindo 2 vezes antes); eu estava numa fase em que eu precisa focar em mim, nos meus anseios e sonhos, e vim em busca de uma “nova vida”. O Brasil não era grande o bastante para mim naquele meu momento pessoal, e entretanto, decidi pegar as minhas coisas e mudar-me para Lisboa, cidade à qual eu me apaixonei. Inclusive, recebo muitas mensagens de pessoas que querem fazer esse mesmo caminho e sempre recomendo: primeiro visite antes a cidade, depois decida! Foi o que eu fiz.

Quais foram as maiores dificuldades que você teve ao chegar aqui?

Portugal (ainda) é um país muito conservador, “bairrista” e muito burocrático, na minha visão. Vim para cá pensando em continuar a minha carreira profissional, mas não foi fácil encontrar trabalho. É óbvio que eu queria algo na minha área, porque no setor de serviços há sempre oportunidades. Mas o fato é que o mercado de trabalho aqui ainda é muito fechado, com pouquíssimas oportunidades, sendo que as melhores oportunidades são reservadas aos portugueses.

É fácil fazer amizades com os portugueses?

Eu tinha muito medo de não ser bem recebido aqui, das pessoas terem um certo “preconceito” com brasileiros. Mas, foi totalmente o contrário. Fui super bem recebido, os portugueses são muito queridos e tenho muitos amigos verdadeiros aqui. É um povo que gosta ou não gosta, não tem meio termo e não fazem cerimônias para dizer não. São bem sinceros e muito assertivos na forma de construírem as amizades. Sem falar que somos muitos parecidos culturalmente, o que nos aproxima bastante!

Que hábitos engraçados os portugueses têm que parecem estranhos para os brasileiros?

[risos] Os homens falam “obrigada” ao invés de “obrigado” e eu dou muita risada! Ou também “mais pequeno” ao invés de dizer “menor”, soa muito engraçado. Mas é “giro” o sotaque, eu adoro, só não consegui pegar ainda.

Quais são as vantagens de morar em Portugal comparativamente ao Brasil? E as desvantagens?

Eu costumo dizer que a vida aqui passa mais devagar, mais leve e mais bem vivida. As pessoas sabem apreciar o momento, sentar e admirar a paisagem ao redor, as inúmeras belezas do país. Outro ponto positivo é, sem dúvida, a violência, que é bem mais baixa que no Brasil. Aqui eu não tenho o medo que eu tinha de sair na rua e ser assaltado (graças a Deus nunca fui assaltado no Brasil também). As desvantagens são as rendas altas, os ordenados baixos e o trânsito em Lisboa, que a cada dia fica mais trash.

Como você avalia a situação atual do Brasil?

Eu diria que o pior da crise econômica já passou e o país está voltando a crescer, ainda que em passos lentos. A crise política persiste, é verdade, mas a população parece mais ativa em cobrar os seus direitos. O Brasil é grande e as mazelas são proporcionais a essa grandeza. Tem tudo para ser o melhor país do mundo, mas enquanto não resolver a situação da corrupção política, vai ficar estagnado.

Que conselhos daria para os brasileiros que estão pensando em morar aqui?

Façam primeiro uma visita em modo “férias” para conhecer melhor o país. E só depois planeiem (bem) a mudança. É importante também conversar com as pessoas que já vivem aqui, para ter uma melhor impressão da realidade do país.

Rapidinhas:

Em relação à moda e a beleza, quais são as marcas nacionais mais queridas?

Adoro uma marca de sapatos 100% portuguesa que se chama Exceed Shoe Thinkers (os sapatos são lindos, confortáveis e com um design super cool). De beleza, não fico sem os produtos para barba da Antiga Barbearia de Bairro (são mesmo incríveis e cheiram tão bem!), e de moda, admiro o Nuno Gama, além da alfaiataria impecável da Nair Xavier.

Quais são os seus lugares favoritos na cidade?

A Baixa (adoro bater perna pelo centro da cidade), passear pela ribeira, o Chiado me encanta (principalmente as lojinhas, ninguém é de ferro, né?) e os rooftops no verão são os meus must go (Sky Bar do Hotel Tivoli, Topo no Martim Moniz, e o terraço do Hotel Mundial).

Tem alguma dica de restaurante ou bar fora do circuito turístico que vale a pena conhecer?

Rui do Barrote (esse é meu hotspot para comer carne, uma tasca familiar que quase ninguém conhece. Fica em Marvila e lá come-se muito bem (mas não espalha, porque a fila tem aumentado a cada dia!). [risos]

Mais informações:
Senhor Estilo (obrigada pelas respostas, Glauco!) <3